CADEIRA 06

FUNDADORA

PATRONO

Alcioly Therezinha Gruber de Abreu

SUCESSORA

Alcioly Therezinha Gruber de Abreu

o Capitão Manoel Elias de Araujo e sua mulher Clara Magdalena dos Santos foram os pais adotivos de Ponciano de Araújo, os quais o enviaram para estudar em São Paulo, onde foi ordenado Presbítero Secular - clérico com ordens de missa, que não faz os votos monásticos. Em 1825 assumiu como vigário a Paroquia de Nossa Senhora da Conceição, em Palmeira, permanecendo nesse cargo sete anos.

Revelou desde logo sua vocação de explorador de novas áreas. Recebeu do bispo de São Paulo, D. Manuel de Almeida, em 26 de fevereiro de 1832, o privilegio de Altar Portátil dado aos padres Bandeirantes (LAGO, L S. Consciência, Palmas: v.1, n.4, jan/jun. 1990, p. 64).

Em 1832 foi transferido para a Paroquia Nossa Senhora de Belém, em Guarapuava, onde permaneceu ate ser substituído pelo padre Jose Cabesos de Castro.


Muito antes de se tornar responsável pela Paroquia de Nossa Senhora de Belém, o padre Ponciano mantinha contato com Guarapuava, pois seu pai adotivo, Manoel Elias foi um dos aquinhoados com terras na regido, cujo nome aparece no Rol de Paroquianos de 1825, elaborado pelo padre Francisco das Chagas Lima, com uma propriedade no Lugar dos Anfíbios, que pelas listas de habitantes posteriores foi identificado como o atual Candói, localizado entre os rios Campo Real, Jordão, Cavernoso e Iguaçú.

Em sua Paroquia, não se limitou a atender o núcleo urbano. Exercendo sua vocação de desbravador e com permissão das autoridades eclesiásticas passou a organizar bandeiras exploradoras e a viajar pelo interior da Freguesia para exercer seu apostolado, realizar batizados, casamentos e levar a extrema unção aos enfermos.

Percorreu o municipio ern varias diregoes: ao sul, quando participou da ocupagdo e povoamento dos campos de Palmas e Clevelandia; a oeste, quando explorou os campos que o padre Chagas denominou de Nerinhe ou Laranjeiras. Nessas viagens fazia anotagoes em cadernos, as quais transcrevia nos livros da Paroquia ao retornar a Guarapuava.

Com o falecimento de seus pais adotivos herdou a Fazenda Candoi tornando-se fazendeiro, pecuarista e tropeiro.

Ainda jovem, em Palmeira, teve urn filho corn Alexandrina Mafalda Rosa a quern deu o nome de Pedro Alexandrino. Mais tarde passou a viver corn a villva Da. Maria Rita Brandina de Almeida, corn quern teve mais dois filhos: Joao de Abreu e Ara* e Candid° Jose de Almeida e Araujo. Mesmo apos deixar o sacerdocio nao legalizou sua uniao, pois nao conseguiu licenga da Igreja para se casar no religioso.

Seus tres filhos foram batizados na Paroquia de Nossa Senhora da Conceigao do Tamandua e criados e educados em sua companhia, acompanhando-o em muitas de suas viagens. Ouando adultos, ocuparam-se das atividades ligadas a pecuaria e ao tropeirismo, nas terras que, atraves de testamento redigido de proprio punho, ele, Ponciano, transmitiu-lhes por heranga. Destacaram-se na comunidade guarapuavana e nas regioes onde viveram, participando da politica, da Guarda Nacional, da Loja Magonica Philantropia Guarapuavana, do Batalhao Voluntarios da Patria.

Pedro Alexandrino foi camarista na década de 1860.

Tiveram famílias numerosas com 8 a 10 filhos e constituíram-se em "pioneiros" do Município do Candói, contribuindo para sua povoação e desenvolvimento econômico.


Ponciano Jose de Araújo faleceu em 14 de setembro de 1854, com 53 anos de idade, conforme registro de óbito, lavrado no Livro 1, folha 45, do Arquivo da Paroquia de Nossa Senhora de Belém, de Guarapuava.

Copyright © 2019

Direitos Reservados - ALAC

Rua Senador Pinheiro Machado, 1827, Centro

85010-100 - Guarapuava - Paraná

podcast.png

Desenvolvido por

Fábio Vinícius Primak