FESTAS DE NOSSA SENHORA DE BELÉM

Desde 1886, encontram-se registros sobre a promoção da Festa de Nossa Senhora de Belém, em Guarapuava. Em 05 de fevereiro de 1886, o pároco interino Padre José Stumbo, por intermédio de um telegrama enviado ao Vigário Geral Forense, em Curitiba, denunciou o furto de “por ocasião da promoção de festas religiosas, em 02 de fevereiro daquele ano. É a referência mais antiga às Festas de Nossa Senhora de Belém de que se tem notícia.

No jornal “O Guayra” em um artigo, intitulado “Visita Pastoral”, é anunciada a chegada, no dia 20 de janeiro de 1898, do Revmo. Bispo Diocesano, acompanhado do Monsenhor Alberto Gonçalves, senador federal pelo Estado do Paraná. “.” [2]

A professora Júlia de Santa Maria Pereira, em suas anotações, escreveu que as festas eram acompanhadas das Cavalhadas. OÀ página 4, do jornal, a programação: 1. Às 19 horas, as novenas, de 24 de janeiro até 1º de fevereiro. Em cada novena, o Vigário Padre Ângelo de Féo, nomeava quatro festeiros, dois “cidadãos” e duas senhoras. Antes da novena, o povo, acompanhado da banda de música, em procissão, ia até as casas das noveneiras que saiam com as bandeiras do Divino. Todos se dirigiam à Igreja para participar da novena. Da mesma forma, ao final, com as duas noveneiras escolhidas durante a celebração do dia, faziam o trajeto da Igreja para as suas casas. 2. No dia 02 de fevereiro, a festa propriamente dita começava muito cedo, às 3h30min da madrugada, com a banda de música tocando a alvorada. Às 10h30min, benção das velas e missa cantada. Às 17 h, a procissão percorrendo as ruas principais da cidade e a volta à Igreja quando “Informava-se que a festa era também chamada de Festa da Candelária porque a palavra candelária alude aos círios ou velas de cera que se benzem, que se acendem e que são levados em procissão pelo clero e pelo povo. escreveu o Padre Ângelo.

Na constantes as informações referentes às festas, muitas vezes chamadas pelos padres de Festa Principal, Festa do Patrocínio. Encontram-se dados sobre a organização das festas, os pregadores das novenas, sobre o tempo em 02 de fevereiro, contribuindo ou prejudicando a festa e a quantia em dinheiro arrecadada na ocasião. Algumas vezes também se declarava a destinação desses recursos, na sua grande maioria para a reforma da Igreja.

No Arquivo Histórico da Paróquia Catedral – AHPARCA encontram-se dados sobre a organização das festas, os pregadores das novenas, sobre o tempo em 02 de fevereiro, contribuindo ou prejudicando a festa e a quantia em dinheiro arrecadada na ocasião. Algumas vezes também se declarava a destinação desses recursos, na maioria para a reforma da Igreja. Além das alusões às festas nos Livros Tombo nº 3 e nº 4, encontram-se, nas caixas de arquivo, processos inteiros de organização das Festas de Nossa Senhora de Belém de 1947 a 2012, com relação à parte festiva e religiosa, à escolha do tema da festa de cada ano, por exemplo, “”, os nomes dos pregadores das novenas, dos festeiros, entre outros.

           

São revelações interessantes sobre a Festa de Nossa Senhora de Belém que fornecem subsídios para estudos sobre a sociedade guarapuavana.

 

[1]TEIXEIRA, Benjamin Cardoso. Efemérides guarapuavanas. Guarapuava: 2002, p.28 e 31.

[2] Visita pastoral. O Guayra. Guarapuava, 22 de janeiro de 1898, ANNO IV, Nº 39, p. 3.

Zilma Haick Dalla Vechia | Publicado: 29/01/2019  |  Editado: 29/01/2019

Copyright © 2019

Direitos Reservados - ALAC

Rua Senador Pinheiro Machado, 1827, Centro

85010-100 - Guarapuava - Paraná

podcast.png

Desenvolvido por

Fábio Vinícius Primak